O que é preciso para abrir um e-commerce

Muitas pessoas possuem o desejo de abrir um e-commerce, mas não sabem por onde começar. São tantos detalhes a serem resolvidos: qual plataforma será utilizada? Qual é o meu público-alvo? Quais serão os fornecedores? Como serão feitas as entregas? Essas são algumas das principais dúvidas que rondam a cabeça de que é novato no mundo dos negócios.

Se você pensa em ter uma loja virtual, nós listamos alguns pontos importantes que você deve saber antes de começar a se planejar:

Qual o seu objetivo ao abrir um e-commerce?

Ao iniciar o projeto, você deve ter em mente o seu objetivo com o seu novo negócio. Conquistar liberdade e independência financeira? Conseguir um dinheiro extra para complementar sua renda? Criar uma marca multimilionária? Dependendo das suas metas, o caminho a ser traçado será diferente. Esse será o seu ponto de partida.

Trace um mini planejamento

No seu mini planejamento, três perguntas devem ser respondidas: o que você vai vender? Para quem você vai vender? De quem você vai comprar?

As três questões são focadas nos três principais pilares de um e-commerce: produtos, consumidores e fornecedores. Eles precisam ser estudados a fundo para que você possa montar um e-commerce de sucesso.

Nicho de mercado

É hora de decidir a categoria de produtos que você vai vender. Se você gosta de moda, por que não apostar em uma loja de roupas e acessórios. Se você possui afinidade com animais, que tal um pet shop online?

Se você ainda não decidiu em qual nicho de mercado quer investir, você pode pesquisar relatórios como o Webshoppers, que é divulgado pelo Ebit. Lá você encontra informações sobre quais mercados estão crescendo e são os mais promissores, e outras informações sobre os e-commerces brasileiros.

Consumidores

Você precisa estudar os seus potenciais consumidores. Do que gostam? Qual o melhor jeito de atingi-los? A qual classe social eles pertencem?

Querer atingir um público muito amplo e sem delimitações é um dos motivos que fazem com que muitas lojas virtuais fechem as portas cedo.

Fornecedores

Separe um tempo do seu planejamento para buscar por fornecedores. Realize uma ampla pesquisa, organize planilhas, entre em contato e tente negociar preços. Converse de igual para igual com o fornecedor e informe-o sobre os objetivos da sua loja. Os fornecedores gostam quando são vistos como parceiros da loja.

Depois que esses três pilares já foram definidos, é hora de escolher a plataforma, layout do site e formas de entrega. Nós já postamos um texto em nosso blog sobre o que você deve planejar antes de abrir sua loja virtual e erros comuns em lojas virtuais que você não deve cometer.

Fique ligado no nosso blog para mais conteúdos referentes a e-commerce e marketing digital. Aproveite para curtir a nossa página no Facebook e nos seguir no Instagram.

Até a próxima!

Plataformas para e-commerce: como escolher a sua?

Durante o planejamento de uma loja virtual, um dos pontos mais importantes é a escolha da plataforma. É ela que viabiliza a construção do e-commerce, tanto a parte que é visível para o consumidor (chamada de Front End), como a parte administrativa (Back End). Existem diversas plataformas para e-commerce disponíveis, com características diferentes para cada tipo de loja e orçamento.

A dúvida começa justamente no momento da escolha. Todo cuidado é pouco, já que escolher a plataforma errada e depois ter que fazer uma migração, é uma operação muito trabalhosa.

O blog da Lealmente trouxe algumas dicas e orientações para você fazer a escolha certa e evitar problemas no futuro.

O que você deve avaliar antes de escolher a plataforma:

  • Dê preferência para desenvolvedores que possuem tradição e reconhecimento no mercado de plataformas;
  • Leia resenhas e comentários dos atuais usuários da plataforma escolhida;
  • Atente-se quanto à expansão dos recursos. Algumas plataformas são limitadas;
  • Avalie se o desempenho do provedor de hospedagem é satisfatório;
  • Preste atenção na política de atualização de sistema;

Trabalhar com empresas sólidas no mercado evita que você seja prejudicado pela inexperiência da equipe ou outros problemas. Escolher uma plataforma tradicional é uma garantia a mais de que você não terá dores de cabeça no futuro.

O que a plataforma deve oferecer:

  • Estrutura e recursos (URLs amigáveis, meta tags únicas, redirect 301) para a implementação de um bom trabalho de SEO;
  • Integração com o Google Analytics e suas diversas funções específicas para e-commerce;
  • Diversidade de métodos de pagamento;
  • Relatórios gerenciais oferecidos pelo sistema e com possibilidade de customização;
  • Sistema responsivo que se adapta em diversos dispositivos móveis;
  • Integração com mídias sociais;
  • Segurança para transações (SSL e sistemas antifraude);

As três maiores plataformas para e-commerce:

  1. Woo Comerce

O Woo Comerce é utilizado por mais de 100.000 domínios no país, representando um quarto da fatia do e-commerce brasileiro. A plataforma é conhecida pela facilidade de uso dentro do WordPress e flexibilidade de operações. É possível cadastrar qualquer tipo de produto, conduzir campanhas de marketing, cupons de desconto, além de facilitar a cobrança de frete e gerar relatórios sobre cada processo realizado na ferramenta.

  1. Loja Integrada

A Loja Integrada é uma das poucas plataformas para e-commerce que foram criadas no Brasil. Além de permitir que você crie a sua loja virtual, ela conta com tutoriais e um blog próprio para que o usuário possa acompanhar as atualizações da plataforma. Ela também gera relatórios de vendas e crescimento do negócio diretamente no site e se integra com o Facebook e Google Analytics.

  1. Prestashop

A Prestashop é uma plataforma que está em crescimento. Ela conta com inteligência artificial aplicada a ferramenta, que analisa o comportamento de compra de um cliente, sugerindo itens relacionados para aumentar o valor da venda. É considerada uma das plataformas para e-commerce mais completas do mercado.

Lembre-se também de escolher uma plataforma que não só atenda as necessidades atuais, mais que permita com que o seu e-commerce cresça e expanda suas atividades.

Não deixe de ler também o nosso texto sobre como aumentar o lucro da sua loja virtual. Até a próxima!

Dicas para um e-mail marketing de sucesso

O e-mail marketing é uma das ferramentas que mais gera conversões. É um canal de comunicação com o cliente, que cria uma relação maior do que apenas de compras. Entretanto, existem alguns pontos em que você precisa se atentar para ter um e-mail marketing de sucesso.

Um dos grandes erros das empresas é comprar listas de e-mails e não segmentar os seus disparos. Fica muito mais difícil fazer com que as mensagens sejam abertas e gerem algum tipo de retorno.

No post de hoje, nós separamos algumas dicas para que o seu e-mail marketing de sucesso seja eficiente e proporcione o resultado desejado.

Não compre listas de e-mail

Não gaste dinheiro comprando listas de e-mail. Você irá enviar conteúdos para pessoas que possivelmente não estão interessadas na sua marca, não irão abrir a mensagem e a taxa de retorno será quase nula.

Além disso, você irá perder a confiança dos seus destinatários. Eles nunca te deram a permissão para receber suas mensagens. Sua empresa pode ficar conhecida como spammer e manchar sua reputação.

Faça com que o cliente se sinta próximo da marca

Utilize o e-mail marketing para ter um diálogo com quem está lendo. Chame o cliente pelo o nome, utilize uma linguagem leve, estenda a conversa e envie conteúdos relevantes aos seus leitores.

Com a popularização das mídias sociais, o público começou a usar esses canais como forma de expressar suas opiniões e criar um vínculo maior com suas marcas favoritas. Aproveite desta vantagem para ser uma empresa presente no dia a dia dos seus consumidores, e assim, fidelizá-los.

Cuidado com a frequência dos seus e-mails

Não envie e-mails com uma alta frequência. A maior parte dos destinatários ficará incomodada com o grande número de mensagens e elas acabarão sendo excluídas, ignoradas ou marcadas como spam. Guarde seus e-mails para momentos realmente importantes e assuntos relevantes.

Mantenha a periodicidade dos seus envios. Estabeleça períodos de uma semana, quinze dias ou de mês e mês para que os destinatários não estranhem a falta ou excesso de e-mails.

Adapte seu e-mail para mobile

A maior parte dos usuários utiliza o e-mail pessoal apenas em seus dispositivos móveis. Procure um software que produza e-mails responsivos, que permitem uma boa legibilidade em qualquer tipo de aparelho.

Aproveitando essa dica, você pode criar diversos tipos de mensagens. Newsletters, com notícias relevantes sobre o segmento para seus clientes; promocionais, para anunciar suas melhores ofertas; e nutrição de leads, para que possíveis consumidores avancem para a próxima etapa de compra.

Um e-mail marketing de sucesso evita textos longos

Seja direto e objetivo. Ninguém tem muito tempo para ler longos textos de e-mail. Vá direto ao ponto, sendo breve e claro.

Pense também em layouts criativos, títulos chamativos (mas sem exageros nas letras maiúsculas, para não parecer spam) e no timing do seu e-mail.

Gostou das nossas dicas? Então fique ligado na nossa página no Facebook e no nosso blog para mais textos e dicas. Até a próxima!

As melhores estratégias de vendas B2C para a sua empresa

O modelo Business to Consumer, o famoso B2C, tem mudado de acordo com a necessidade dos clientes. O marketing está cada vez mais personalizado e pensado para melhorar a experiência de compra, buscando satisfazer os consumidores e criar um vínculo de fidelidade. Para aumentar os seus resultados, nós listamos algumas estratégias de vendas B2C para a sua empresa. Confira:

O cliente em primeiro lugar

Para criar boas estratégias de vendas B2C e marketing, é necessário saber quais são as necessidades dos seus consumidores. Para isso, é essencial ter um canal de comunicação direta, como as redes sociais e o SAC. Receber feedbacks das pessoas que estão comprando o seu produto ou adquirindo o serviço que a sua empresa oferece ajuda a elaborar os planejamentos e aprimorar a experiência do usuário.

Atente-se à qualidade dos produtos

Não adianta ter um plano de marketing maravilhoso se o que você oferece é de pouca qualidade. Invista em bons produtos e uma logística de entrega que deixe os seus clientes satisfeitos. Com a ampla concorrência presente no mercado, os consumidores estão cada vez mais exigentes. Um atraso ou problemas na mercadoria podem fazer com que eles migrem para os concorrentes rapidamente. Manter o seu cliente satisfeito é a chave para criar um vínculo de fidelidade e fazer a sua empresa crescer.

Tenha metas

As metas ajudam a traçar o caminho da sua empresa. É a melhor forma de conquistar um grande desempenho e motivar a sua equipe, além de fazer com que as vendas cresçam em pouco tempo. Tenha objetivos para curto, médio e longo prazo. Mas claro, trace metas palpáveis e que não sejam impossíveis de alcançar. Para manter seus funcionários motivados, dê recompensas quando o objetivo for atingido.

Métricas para estratégias de vendas B2C

As métricas são os indicadores que ajudam a informar sobre o desempenho das vendas, se os resultados estão sendo alcançados e se as metas estabelecidas serão atingidas. Algumas das métricas mais utilizadas em estratégias de venda B2C são: quantidade de vendas efetuadas, quantidade de vendas canceladas, satisfação dos clientes e ticket médio. Tendo esses números em mãos, fica mais fácil examinar se a estratégia montada é eficiente e consertar os pontos falhos.

Não deixe de ler também o nosso texto sobre as técnicas de maior impacto no marketing B2B e as diferenças do marketing B2B e B2C. Até mais!

Como comprar e registrar um domínio na Internet

Muitos passos precisam ser dados antes de você ter seu próprio site institucional ou e-commerce. E um deles, é comprar e registrar um domínio na Internet. Sem o domínio, os leitores ou clientes nunca chegarão até você. Pode parecer uma tarefa difícil para quem nunca teve uma página na Internet, mas é mais fácil do que você pensa.

Para passar uma maior credibilidade para os usuários, você precisa ter um domínio “sério”, como o .com.br. Mas como consegui-lo? Quais são os valores? Nós vamos tirar essas dúvidas para você! Acompanhe:

Verifique a disponibilidade

Acesse o site Registro.br e verifique se o domínio que você deseja usar já não está sendo utilizado por outra pessoa. Na página inicial, você já pode fazer essa pesquisa e visualizar o valor da taxa do registro.

Caso o nome que você queria utilizar não esteja disponível, o site te dará algumas sugestões com o mesmo endereço, mas com finais diferentes.

Cadastro

Agora que você já escolheu o seu endereço, é necessário fazer um cadastro no site. Você terá que preencher alguns dados pessoais como nome, e-mail, endereço, telefone e criar uma senha de acesso. Depois dessa etapa, você estará pronto para seguir com a etapa do pagamento.

Pagamento e registro

Como nada é de graça, você terá que pagar uma taxa anual para ter o seu domínio. Consulte os valores no Registro.br. Alguns dados como CPF (pessoa física) ou CNPJ (pessoa jurídica) serão pedidos, assim com o método de pagamento, que pode ser feito com cartão de crédito ou boleto bancário.

Também será necessário informar o DNS do servidor que o seu site se encontra, para que o direcionamento do tráfego para o endereço registrado seja realizado.

O Registro.br também oferece redirecionadores de e-mail. Ou seja, você poderá ter um endereço de e-mail profissional e próprio para o seu site (exemplo: petshopcã[email protected])

Assim que o pagamento for confirmado, o Registro.br irá realizar o redirecionamento de endereço do seu site para o registro que foi comprado.

Dicas para ter um domínio perfeito

  • Tenha um domínio de personalidade e marcante. Domínios genéricos não se parecem com marcas e podem até fazer com que o seu site perca um pouco de credibilidade.
  • As pessoas precisam saber pronunciar e escrever o seu domínio. Não adianta colocar um nome difícil, as pessoas irão esquecer facilmente ou não conseguirão encontrar o seu site.
  • Não tenha um domínio muito longo. Escolha um endereço curto e com poucos caracteres.
  • Escolha uma extensão que faça sentido para o seu negócio. Se o seu site for uma organização fundamental, faz sentido ele ser registrado com o final .org.
  • Ter a palavra-chave do seu site no seu domínio ajuda no posicionamento e identificação do público e também para as técnicas de SEO.

Aproveite para ler também o nosso texto sobre o que é preciso para abrir um e-commerce e o que você deve planejar antes de abrir sua loja virtual.

Agora que você já aprendeu a registrar um domínio na Internet, é hora de começar a planejar o seu site. Boa sorte!

Como usar o LinkedIn no marketing B2B?

O LinkedIn é um dos ambientes mais favoráveis para o marketing de empresas B2B. Em alguns casos, a presença nesta rede social pode até ser mais efetiva do que ter uma página no Facebook. Há pouco tempo atrás, nós postamos aqui no nosso blog algumas dicas para usar o LinkedIn a favor da sua empresa. Hoje, nós vamos dar algumas dicas de como incluir o LinkedIn no marketing B2B. Acompanhe:

O Linkedin e as empresas Business to Business

Devido ao seu grande número de usuários e reconhecimento que a rede social ganhou nos últimos, seria um desperdício não incluir o LinkedIn no marketing B2B. É lá que se encontra as empresas que estão fazendo o mercado acontecer.

Ao contrário do marketing B2C, que é favorecido pelas redes sociais que proporcionam um canal de comunicação direta com o cliente, as empresas B2B podem usar o LinkedIn para consolidarem a sua marca, postar conteúdo relevante para outras empresas e engajar os seguidores. Lá, quanto mais as pessoas interagirem e recomendarem com a sua página, mais “influente” a sua empresa se torna, ganhando mais visibilidade nos resultados de pesquisa. Vale a pena criar um planejamento estratégico exclusivo para essa plataforma.

Como fazer marketing B2B no LinkedIn?

Você pode utilizar dois modelos de páginas oferecidas pelo LinkedIn: as Company Pages e as Show Case Pages.

Através das Companys Pages, é possível adotar uma estratégia de marketing de relacionamento para apresentar a cultura da empresa, entrar em contato com potenciais clientes e gerar leads. Basicamente, ela possui as características parecidas de uma fanpage no Facebook.

Já as Show Case Pages, funcionam como páginas específicas para divisões da sua empresa, em que você pode apresentar os serviços ou produtos oferecidos pelo seu negócio de forma mais detalhada.

LinkedIn no marketing B2B: Ads

Assim como no Facebook, o LinkedIn possui a sua própria ferramenta para campanhas pagas dentro da rede social. Elas podem aparecer nas páginas de perfil, na homepage, na caixa de entrada de mensagens, em resultados de pesquisa e nos grupos. O alto poder de segmentação garante a possibilidade dos seus anúncios serem exibidos só para os usuários que se encaixam no seu público-alvo.

Embora os Ads do LinkedIn sejam parecidos com o Google Ads, vale lembrar que o ambiente de exposição é completamente diferente. No caso do Google, o segmento é marketing de busca. No LinkedIn, é trabalhado o marketing de display. São estratégias diferentes, mas complementares.

Não deixe de ler também o nosso texto sobre presença nas mídias sociais para empresas B2B e B2C. Nos vemos em breve!

Como segmentar o público no marketing educacional?

Para que as suas estratégias de marketing tenham o resultado esperado, é necessário delimitar o público no marketing educacional.  Saber quais são os perfis dos alunos e seus interesses é essencial para desenvolver um bom relacionamento com o seu público, e assim, gerar leads, matrículas e reter um maior número de alunos. Confira quatro dicas para fazer essa segmentação da maneira correta:

Quem é o seu público no marketing educacional?

O público-alvo do marketing para universidades e escolas de nível fundamental são muito diferentes, certo? Se o seu foco são escolas para crianças, o alvo do seu marketing são os pais delas. Afinal, são eles que tomam esse tipo de decisão. O primeiro passo é conhecer o perfil dos seus potenciais alunos e dos seus pais para que a sua estratégia seja bem orientada.

Limitações geográficas

A localização do colégio/universidade é um fator que faz diferença na segmentação. Se a instituição de ensino está presente em apenas uma cidade, é possível usar regionalismos na comunicação para se aproximar do público-alvo. Na hora de segmentar o público nas ferramentas de posts patrocinados nas redes sociais, você pode delimitar o alcance apenas para as regiões que interessam.

Ofertas

As suas ofertas devem ser direcionadas de acordo com o perfil do estudante que você quer atingir. Seja ela de exatas, humanas, criança, adolescente ou adulto, procure levantar algumas características dos seus alunos em potencial de cada curso/série da sua instituição de ensino para saber o que irá funcionar melhor para eles de acordo com seus interesses.

Personas

As personas são personagens semifictícios que representam os alunos ideais para a sua instituição de ensino. As personagens carregam informações como dados demográficos, hábitos de consumo, interesses pessoais e outros detalhes. Quanto mais características a persona tiver, mais fácil será definir estratégias que mostrem que o seu colégio/universidade está pronto para recebe-la e ajudá-la. Você pode criar uma persona por curso, área de conhecimento ou idade.

Não deixe de ler também o nosso texto sobre como fazer um diagnóstico de marketing para a escola. Até mais!

Como promover a minha empresa no LinkedIn?

O LinkedIn é uma mídia social voltada para o âmbito profissional. Nela, os usuários colocam suas informações acadêmicas, trajetória profissional, habilidades, cursos e o que mais acharem relevante sobre a sua profissão (assim como um currículo). É possível fazer conexões com outras pessoas e até encontrar vagas de emprego.

No Brasil, o LinkedIn já conta com cerca de 29 milhões de usuários, sendo 3 milhões Company Pages. Seria um desperdício não utilizar esses números ao favor do marketing do seu negócio!

No texto de hoje, nós trouxemos algumas dicas para promover a empresa no LinkedIn, atrair novos seguidores e se tornar mais relevante no mercado. Confira:

Faça conexões

As chamadas “conexões” no LinkedIn amplia a exposição orgânica da empresa. Ou seja, quanto maior o número de conexões, maiores são as chances de a página do seu negócio aparecer nas buscas orgânicas do site.

Além disso, quando um funcionário adiciona a sua empresa no currículo, a sua Company Page se torna “clicável”. Quem visitar o perfil do funcionário poderá conhecer a sua empresa e acessar a página.

Otimize as técnicas de SEO

Ter uma página no LinkedIn pode te ajudar a ficar melhor ranqueado nos mecanismos de busca orgânica, como o Google. Utilize a sua Company Page para potencializar o desempenho de SEO, colocando as palavras-chaves certas nos textos e termos relevantes.

Adicionar palavras-chaves na descrição da sua empresa também aumenta as chances de conseguir um bom ranqueamento dentro do LinkedIn e de tornar a sua empresa mais fácil de ser encontrada dentro do próprio site.

Tenha uma boa URL

Ao criar uma Company Page, o próprio LinkedIn gera uma URL padrão com um código numérico sem significado. Para promover a empresa no LinkedIn, faça uma URL personalizada. É só entrar nas configurações e na categoria “Perfil público”. Escolha algo simples e fácil de ser encontrado, utilizando o nome da empresa, por exemplo.

Faça anúncios

Assim como o Facebook, Instagram e Twitter, o LinkdIn também permite que as empresas façam anúncios pagos no site. A capacidade de segmentação de anúncios é ainda maior do que a do Facebook Ads. Utilize esse recurso para elevar o tráfego de alta qualidade na sua Company Page e no seu site em pouco tempo.

Poste conteúdo relevante

Você também pode postar conteúdos relevantes na sua página. O marketing de conteúdo pode ser aproveitado para promover a empresa no Linkedin. O sucesso na rede é pautado por conteúdos relevantes e qualificações, ou seja, cada vez que um usuário compartilha a sua publicação ou a recomenda para alguém, maior será o poder de alcance da sua empresa.

O LinkedIn é uma mídia social que possui muito a oferecer. Não exclua essa ferramenta das suas estratégias de marketing! O resultado pode ser tão significativo quanto ao das outras redes sociais.

Aproveite para ler também o nosso texto sobre como incluir o Twitter nas estratégias de marketing e ferramentas que irão ajudar no gerenciamento de mídias sociais.

Dicas de marketing digital para empresas B2B

Investir em marketing digital para empresas B2B é primordial para continuar crescendo, atrair novos clientes e conquistar espaço no mercado. Mas quais são as técnicas mais eficientes? E como fazer esse tipo de marketing para uma empresa Business to Business? É o que nós vamos te responder nesse post! Acompanhe:

Marketing digital para empresas B2B: Geração de leads

Apesar das transações serem feitas fora do ambiente virtual, as possibilidades de vendas conquistadas por meio da geração de leads trazem usuários mais bem preparados e mais propensos a realizar a compra. Os leads podem ser captados através de landing pages ou você pode oferecer o download de e-books em troca de dados como nome e e-mail de potenciais clientes.

Marketing de conteúdo

Uma das principais estratégias de marketing digital é a criação de marketing de conteúdo. Além de atrair visitas vindas da busca orgânica, você prepara os leads para fechar uma compra. O marketing digital para empresas B2B não deve deixar de investir na criação desse conteúdo. É uma forma de se tornar uma marca de referência, se tornar relevante para o seu público e ajudar os seus seguidores a entenderem o seu serviço ou produto.

Redes sociais

As redes sociais são ferramentas que ajudam a criar um canal de comunicação com o cliente e engajamento. Através delas também é possível fazer posts patrocinados, que irão aparecer na linha do tempo do seu público-alvo. Além de fidelizar os usuários que já são seus seguidores, as estratégias de marketing digital para empresas B2B fazem com que a sua empresa conquiste uma nova audiência. É importante avaliar também em quais redes sociais os seus clientes estão. No caso das empresas B2B, o LinkedIn pode ser mais efetivo do que o Facebook.

E-mail marketing

Não deixe de criar boas newsletters para enviar aos seus clientes. Mas seja claro e objetivo, pois ninguém tem muito tempo de ler longos textos por e-mail. No mundo dos negócios, essa estratégia faz com que as empresas se aproximem ainda mais de seu público-alvo. Aproveite dessa presença constante para levar conteúdo relevante aos seus leads e construir um relacionamento de fidelidade.

Site responsivo

Hoje em dia, a maior parte das pessoas acessam a Internet por meio de dispositivos móveis. Portanto, é de extrema importância que o site da sua empresa seja responsivo (que se adapta ao mobile). Se o seu cliente encontrar dificuldades em navegar pela sua página através do celular, ele dificilmente vai manter o interesse em adquirir o seu produto ou serviço.

Aproveite para ler também o nosso texto sobre as cinco técnicas de maior impacto no marketing B2B. E fique de olho nas nossas redes sociais para mais conteúdo relacionado a marketing e tecnologia. Até breve!

As diferenças do marketing B2B e B2C

Começa agora uma série de textos que vai trazer tudo o que você precisa saber sobre marketing B2B e B2C. E para começarmos, nós vamos explicar a diferença entre esses dois termos.

O que significa B2B e B2C?

B2B é a sigla para Business to Business. Se trata dos serviços prestados de uma empresa para outra.

Já B2C, significa Business to Consumer. Ou seja, vende-se diretamente para o consumidor final. A relação é mais imediata e a barreira de entrada e saída é cada vez menor.

Diferenças entre os mercados

A primeira diferença entre o marketing B2B e B2C é o tipo de relacionamento entre o cliente e a empresa. Quando se vende algo para o consumidor, a relação é direta. Hoje ele pode comprar um produto da sua empresa. Amanhã, ele pode escolher o concorrente e não há problema nenhum.

Já no caso do B2B, é necessário calcular antes de comprar um produto ou fazer uma mudança. Imagine que uma empresa precise de uma grande quantidade de um produto X. Se ela comprar produtos caros ou de baixa qualidade, certamente terá um prejuízo enorme.

O cliente B2C tem mais liberdade e menos consequências para trocar um produto; já o B2B precisa fazer escolhas as escolhas certas para não prejudicar a empresa e manter a solução por bastante tempo.

Marketing B2B e B2C

O objetivo do marketing é gerar valor para o público desde o momento em que ele entrar em contato com a marca, fazer com que ele se interesse pelo seu produto e se sinta motivado em realizar a compra. Como já dissemos anteriormente, a diferença na hora de comprar um produto é muito grande entre o B2B e B2C. Mas como fazer marketing para cada um?

Para B2B: A melhor maneira de gerar, nutrir e converter leads é através do marketing de conteúdo. Para que você possa fazer isso de forma consistente, é importante levar em consideração três elementos: os dados, os tomadores de decisões e a longevidade.

Produza conteúdos baseados em estatísticas, buscando avançar pelo funil. Ofereça conteúdos direcionados, pensando nos desejos, necessidades e expectativas da persona que será impactada pelo seu marketing. Invista em soluções duradouras, que trazem resultados a longo prazo. As empresas preferem esse tipo de solução, já que mudar custa muito caro.

Para B2C: Com a grande concorrência presente no mercado, o marketing para B2C deve ser focado em relacionamento, recomendações e imediatismo.

A presença nas mídias sociais é essencial para criar um relacionamento com cliente. A empresa também deve investir em marketing de conteúdo e ações promocionais para fidelizar o público. Outro tipo de ação que favorece muito as empresas B2C, é o marketing “boca a boca”. Planeje ações que vão fazer com que os seus clientes recomendem a marca para outras pessoas. E a característica que mais favorece as empresas B2C, é o imediatismo. Destacar o benefício imediato do seu produto faz mais sentido para o consumidor que busca uma solução rápida e eficiente.

Agora que você já sabe a diferença do marketing B2B e B2C, fique ligado no nosso blog para mais conteúdos referentes ao tema. Até breve!