Date Archives

May 2019

SEO para iniciantes: 5 dicas incríveis para começar sua estratégia

Quem nunca fez uma pesquisa na Internet procurando por um produto ou serviço?

Durante essa busca, é muito comum que as pessoas acabem descobrindo uma ou mais marcas que trabalham justamente com a solução que elas queriam. E é nesse momento que uma estratégia de SEO faz toda a diferença!

No post de hoje, você verá 5 técnicas de SEO para iniciantes que vão ajudar a melhorar a visibilidade online da sua empresa. Continue a leitura!

O que é SEO

SEO vem da sigla em inglês para Search Engine Optimization, ou otimização para mecanismos de busca. Consiste em uma série de técnicas que visam otimizar um site para ter o melhor posicionamento possível nos resultados das buscas de usuários do Google, Bing, Yahoo, etc.

O SEO é um campo bastante extenso e está sempre em transformação, principalmente devido às constantes atualizações dos buscadores.

Principais técnicas de SEO para iniciantes

Já que o Google é o mecanismo de busca mais utilizado no mundo, profissionais de SEO preferem dar prioridade às diretrizes do gigante das buscas em seus projetos. Por isso, as dicas abaixo também estão de acordo com essas diretrizes. Confira!

1. Palavras-chave

A estratégia de SEO começa com a maneira como você pretende que os usuários encontrem a sua empresa. Aqui, o essencial é encontrar palavras-chave com algum volume de busca (isto é, há usuários usando-as em pesquisas) e, se possível, com baixa concorrência (poucos sites focando nessas palavras, aumentando suas chances de posicionamento entre os primeiros).

A dica é usar o Planejador de palavras-chave do Google para obter algumas ideias e incluir as melhores palavras-chave no seu conteúdo.

2. Conteúdo

Investir em conteúdo é uma excelente opção de inbound marketing. Um blog corporativo, por exemplo, ajudará a educar o seu público-alvo, contribuindo para que sua empresa se torne referência para essa audiência.

Quanto mais útil um conteúdo for para as pessoas, mais ele será compartilhado nas redes sociais e clicado nos resultados de pesquisa. Utilizando essas e outras informações, os mecanismos de busca conseguem analisar se um conteúdo é mesmo de qualidade e relevante para os usuários. Consequentemente, as páginas com os melhores conteúdos terão as melhores colocações.

3. Arquitetura do site

A arquitetura do seu site está relacionada a como as páginas estão estruturadas em categorias e subcategorias ou níveis de hierarquia. Acompanhe este exemplo:

Suponha que você queira listar os serviços que sua empresa oferece. Na página principal (home), há um link “Serviços” no menu, que leva para uma página que lista e descreve brevemente os serviços. Dentro da página de “Serviços”, ao clicar no “Serviço 1”, o usuário é levado para uma página completa sobre o “Serviço 1” e como entrar em contato para contratá-lo.

Nesse caso, o caminho da home até a página do serviço 1 seria: Home >> Serviços >> Serviço 1.

Percebeu a simplicidade dessa estrutura? Isso torna a navegação mais fluida para o usuário e a estrutura das URLs muito mais limpa. Além disso, o mecanismo de busca analisará seu site como um todo com mais facilidade.

4. URLs amigáveis

As URLs devem ter significado tanto para os mecanismos de busca quanto para os usuários. Elas devem expressar a estrutura do site (como vimos na seção anterior) e o tipo de conteúdo que se espera encontrar na página.

Prefira URLs mais curtas. Evite números em excesso e caracteres desnecessários, como @^$*. E quando for representar “espaço”, utilize “hífen” e não “underline”.

5. Google Search Console

Search Console é um serviço gratuito do Google. É muito importante instalá-lo no seu site para saber se o Google está “enxergando” as suas páginas como deveria.

As funcionalidades do Search Console ajudam a descobrir as palavras-chave que mais trazem usuários para o seu website, erros nas páginas, problemas de segurança e muito mais!

Implementando estas dicas de SEO para iniciantes, sua marca aumentará as chances de aparecer entre os primeiros lugares nos resultados de busca. Assim, mais usuários encontrarão a sua empresa, mais tráfego chegará ao seu site e maiores serão as suas vendas!

Erros de e-mail marketing: Os 4 deslizes mais comuns e como evitá-los

Apesar de ser uma das estratégias de marketing digital mais populares do mundo, ainda é muito comum nos depararmos com empresas cometendo erros de e-mail marketing que prejudicam a conquista de resultados.

Muitos desses erros poderiam ser evitados seguindo apenas algumas boas práticas do mercado. No artigo de hoje, mostraremos os 4 erros de e-mail marketing mais comuns e como evitá-los na sua empresa. Acompanhe!

1. Enviar mensagens sem autorização dos destinatários

Um dos erros mais comuns em uma campanha de e-mail marketing é enviar e-mails sem a autorização dos destinatários. Porém, muitas empresas investem nessa prática, chegando até a comprar listas de e-mail com milhares de contatos.

O problema é que muitos desses contatos são inválidos, o que influencia diretamente no sucesso de sua campanha. Além de ser uma prática considerada como SPAM, enviar mensagens para usuários que não autorizaram o recebimento aumenta as chances de que seu e-mail vá diretamente para a lixeira antes mesmo do usuário acessá-lo.

Isso acaba atrapalhando a estratégia de branding do seu negócio, transmitindo a impressão de que sua empresa é invasiva e não respeita a privacidade de seus clientes. Assim, a taxa de conversão e de abertura de seus e-mails serão menores, prejudicando diretamente os seus resultados.

2. Usar títulos desinteressantes

O título de um e-mail é um dos elementos que mais influencia na sua taxa de abertura. Na maioria dos servidores de e-mail, essa é a única informação que seu cliente terá acesso antes de abrir a sua mensagem. Por isso, o título de suas campanhas de e-mail marketing devem ser interessantes, destacando-se entre as centenas de mensagens que seus clientes recebem semanalmente.

O problema é que muitos profissionais de marketing acabam se dedicando a criar mensagens bonitas e atraentes, não dando muita atenção aos títulos de e-mail. Esse é um dos piores erros de e-mail marketing que uma empresa pode cometer, pois aumenta as chances do seu cliente deletar o seu conteúdo sem ao menos abri-lo.

O ideal é que você separe um tempo na criação de suas campanhas apenas para pensar nos títulos dos e-mails, mostrando de forma rápida e objetiva os benefícios que o seu cliente receberá ao abrir sua mensagem.

3. Criar e-mails usando apenas imagens

Há alguns anos, o layout de um e-mail era o elemento de maior importância em uma campanha. Por isso, era comum a criação de e-mail usando apenas imagens, como uma espécie de “panfleto virtual”.

Atualmente, essa prática deve ser evitada na hora de criar uma campanha de e-mail marketing. Isso porque grande parte dos servidores de e-mail bloqueiam automaticamente todas as mensagens sem conteúdo em forma de texto.

Para piorar, alguns servidores marcam e-mails que usam apenas imagens automaticamente como SPAM, impedindo que seus clientes recebam a sua mensagem.

Portanto, é indispensável que seus e-mails tenham parte de seu conteúdo em forma de texto, além do uso de imagens. Dessa forma, você evita que seus e-mails sejam marcados como SPAM e garante o sucesso de suas campanhas.

4. Usar vários CTAs em um mesmo e-mail

O CTA (call to action) é um elemento muito importante em uma campanha de e-mail marketing, pois é ele que fará com que seu cliente tome uma ação específica quando receber seu e-mail.

Mas um dos erros de e-mail marketing que mais prejudicam a eficiência de uma campanha é o uso de vários CTAs em uma mesma mensagem. Isso é bastante prejudicial, pois o seu cliente terá dúvidas sobre o que fazer ao receber seu e-mail, perdendo tempo para avaliar todas as opções disponíveis.

Em uma campanha de e-mail marketing ideal, cada mensagem enviada tem um objetivo específico e, por isso, deve possuir apenas um CTA em destaque. Esse cuidado pode melhorar os resultados de sua campanha, garantindo maior retorno sobre o investimento em e-mail marketing.

E você, gostou deste artigo? Quer ficar por dentro de mais conteúdos como esse? Assine a nossa newsletter e receba dicas exclusivas para otimizar suas campanhas de marketing digital!

Conheça as 5 melhores dicas para fidelizar os clientes da sua empresa

Ter um cliente fiel à sua marca vale muito mais do que conquistar diariamente vários clientes que só compram uma vez com você. Afinal, o investimento necessário para fidelizar um cliente é muito menor do que o necessário para angariar novos.

Um cliente fidelizado costuma fecha mais negócios com a sua empresa, além de ser excelente para ajudar na divulgação da marca e atrair novos consumidores, com baixo ou nenhum custo.

A fidelização significa que os clientes estão satisfeitos com os seus serviços ou produtos, o que os leva a falar bem da empresa e a otimizar a imagem que sua marca apresenta no mercado.

Quer saber como fidelizar os clientes da sua empresa? Conheça as 5 melhores dicas para começar já!

1. Crie um programa de pontos

O programa de pontos é uma forma de fazer com que os seus clientes continuem a comprar somente em sua empresa. A cada compra, ou a cada determinado valor de compra, o comprador acumula pontos que, futuramente, poderão ser trocados por outros produtos ou até mesmo na obtenção de descontos.

Outra boa ideia para acumular pontos seria por meio de embalagens. Basta inserir um código promocional dentro de suas caixas ou invólucros dos produtos. Ao cadastrar o código no site da empresa, o cliente passa a capitalizar os pontos a serem trocados por outros benefícios.

2. Tenha um cartão fidelidade

Assim como o programa de pontos, o cartão fidelidade permite que o cliente tenha vantagens extras ao comprar em sua loja.

Cada cliente que tem um cartão fidelidade pode, por exemplo, ganhar um carimbo ou outra marcação em seu bilhete a cada compra. Ao atingir um número pré-estabelecido pela empresa, ele poderá trocar o cartão por algum produto ou conseguir outro benefício.

Em algumas empresas, em vez de completar o cartão fidelidade, os clientes passam a receber pequenas vantagens conforme avançam em suas compras. Por exemplo, a cada 3 compras, ele ganha 5% de desconto. Porém, ao chegar à 20ª compra, ele ganha um brinde ou um desconto ainda maior.

Certamente vale a pena incluir esse tipo de promoção em suas estratégias de marketing!

3. Aposte em promoções exclusivas

Clientes gostam de se sentir únicos, então, por que não fazer promoções exclusivas para cada cliente? Muitos e-commerces trabalham com o marketing digital, que envolve o disparo de e-mail marketing personalizado. De acordo com cada perfil de compra, há a oferta de promoções exclusivas para seus clientes.

Outra possibilidade é proporcionar descontos exclusivos para quem possui o cartão de crédito da empresa ou ainda detém o seu cartão fidelidade.

4. Otimize o seu atendimento

Ter um atendimento de excelência é um dos principais atrativos para a fidelização dos clientes. Por conta de um bom atendimento, o cliente se sente à vontade para voltar à sua loja. Por isso, sempre motive e treine os funcionários de modo que superem as expectativas da clientela.

Trabalhe também para evitar a demora excessiva nos atendimentos ou que não exista grande período de espera para ser atendido.

5. Mantenha o foco no cliente

Um erro de muitas empresas é não pensar no cliente final na hora de vender seus produtos. Para fidelizar, é preciso ter o cliente como foco principal. Ou seja, faça com que seus produtos atendam realmente às demandas e desejos de quem compra com você.

A empatia é ótima para ajudar neste quesito, pois dessa forma o vendedor, em nome de sua empresa, se coloca no lugar do cliente e passa a avaliar a situação do outro lado da relação. Isso resultará em produtos específicos e serviços de alta qualidade. Além disso, os vendedores conhecerão o verdadeiro problema do cliente e oferecerão a solução adequada.

Gostou das nossas dicas de como fidelizar clientes da sua empresa? Então compartilhe essas dicas nas suas redes sociais e ajude seus seguidores a se atualizarem sobre as melhores práticas do mercado!

As 4 razões para a sua empresa ter um site responsivo

Com as pessoas acessando a internet por tantos dispositivos diferentes, é fundamental que o site da sua empresa seja carregado de modo uniforme, sem que haja incompatibilidade com determinadas dimensões de tela e/ou navegadores.

A solução proposta pela chamada “responsividade” é exatamente essa: fazer com que a página seja carregada para todos os tipos de dispositivos, sem a presença dos desagradáveis erros de layout, imagens mal dimensionadas ou botões que falham.

No post de hoje, conheça as 4 principais razões para a sua empresa ter um site responsivo:

1. Implementação simples e viável financeiramente

Quando uma empresa percebe que precisa alcançar os usuários de dispositivos móveis, ela precisa escolher entre duas opções:

  • Ter um site responsivo;
  • Criar um site mobile.

A maior diferença entre os dois é que o site mobile é uma versão diferente do site original — ou seja, são dois sites a serem administrados. O site responsivo continua sendo o mesmo de sempre, porém, com um design que se adapta a qualquer tipo de tela.

Em suma, implementar um site mobile exige muito trabalho e investimentos maiores, já que é necessário desenvolver uma página específica para mobile e garantir a manutenção de dois sites distintos — isso sem contar que a tarefa de adicionar/atualizar itens é redobrada.

2. Melhorias no posicionamento nos mecanismos de busca

Os aspectos de popularidade e nível de tráfego influenciam diretamente no ranqueamento do Google e os demais mecanismos de busca, detalhe que credencia o design responsivo como uma ótima estratégia de SEO!

Com vias tão diversificadas de acesso, um site que pode ser acessado por qualquer tipo de tela — seja de um tablet, smartphone, PC ou TV — é capaz de concentrar todos os acessos em um só endereço, ou seja, o seu site responsivo aparecerá nas buscas mobile!

Isso pode resultar em grandes vantagens competitivas para a sua empresa, pois passará a aumentar as vendas, estimular o engajamento do público e o seu site passará a disputar posições de frente com empresas que usam sites mobile há muito tempo.

3. Aprimoramento da experiência do usuário

Além da flexibilidade oferecida pelo design responsivo — o que elimina diversos erros que afetam a experiência dos usuários —, outra vantagem está no tempo de carregamento da página.

Para se ter ideia da importância que a performance tem para os resultados, de acordo com um estudo realizado pela Dynatrace, os usuários aguardam em média até 2 segundos para o carregamento de uma página; a partir do terceiro segundo eles tendem a abandonar o site.

Com isso, otimizar o site como um todo — o que envolve a implementação de um design responsivo — é essencial para que as vendas, assim como o posicionamento no ranking do Google, não sejam prejudicados.

Além disso, quando uma empresa se preocupa em proporcionar a melhor experiência possível aos seus consumidores, ela passa a ganhar uma imagem de inovação e alinhamento com as necessidades do público — que está cada vez mais exigente.

4. Adaptação para as tecnologias futuras

O futuro está cada vez mais ligado aos serviços de internet e as telas, por isso é muito importante que a sua empresa esteja preparada para as novidades que chegarão nos próximos anos.

Partindo dessa preocupação, ter um site responsivo é uma garantia de que o seu site ou blog já está pronto para atender as próximas demandas, mesmo que ainda não se saiba quais serão suas características, funcionalidades, dimensões de tela etc.

Agora que você já conheceu as principais razões para ter um site responsivo, que tal começar a colocar as suas novas ideias em prática? O quanto antes a sua empresa implementar, mais oportunidades de negócio a sua empresa deixará de perder!

E você, quer ficar por dentro das novidades que estamos preparando para te ajudar a alavancar seu negócio? Então curta a nossa página no Facebook e não perca nenhum conteúdo!

5 exemplos de anúncios no Facebook que realmente vendem

O patrocínio de posts nas redes sociais se tornou algo essencial para qualquer marca que queira impactar seu público de forma eficiente. Não existe mais planejamento digital que não considera essa possibilidade, pois ela é bastante versátil e traz excelentes resultados para todas as áreas.

Por conta disso, a concorrência no meio digital também aumentou. Agora, para se certificar de que a sua mensagem tenha visibilidade, é necessário acertar na estratégia empregada nas postagens.

Existem diversas possibilidades ao trabalhar com anúncios no Facebook. Dependendo da proposta da sua marca e objetivos, alguns caminhos podem ser melhores do que os outros.

Quer entender quais são as melhores opções para o seu negócio? Confira aqui 5 exemplos de anúncios no Facebook que realmente vendem!

1. Vídeos

O formato audiovisual está cada vez mais popular entre as pessoas devido ao consumo fácil e rápido. Veiculados como anúncios no Facebook, têm o potencial de chamar a atenção e direcionar mais público para comprar de você.

Certifique-se de contar com um bom planejamento e compreender as expectativas da sua audiência em relação ao conteúdo. Apesar de não ser preciso empregar muitos recursos para a produção de vídeos, ainda assim é necessário imprimir qualidade.

2. Anúncio de produtos

Para aumentar as suas vendas, você tem que conduzir mais gente para os seus produtos. Anúncios são formas bastante eficientes de conseguir levar mais público para um determinado local e funcionam bem tanto para e-commerces como para sites institucionais que vendem serviços.

Publique mais links deste tipo e implemente uma redação estratégica para impulsioná-los. Se existe um preço promocional, certifique-se de destacá-lo.

3. Foco no engajamento

Por mais que impulsionar um anúncio garanta mais interações, isso não significa que você deve ignorar o potencial de engajamento do conteúdo no seu planejamento.

Independentemente da segmentação, você tem que estimular o público-alvo a interagir com os seus posts. Isso pode ser feito de múltiplas formas: publique perguntas, peça opiniões, traga depoimentos, entre outros.

4. Destaque ao público

As pessoas gostam de se ver e a sua empresa tem muito a ganhar com essa tendência. Ao trabalhar com anúncio no Facebook, você pode incentivar o seu público a enviar fotos ou vídeos em que apareçam usando seus produtos ou serviços.

A partir daí, você pode impulsionar a publicação e dar um tom mais personalizado à sua mensagem publicitária. Além disso, quem acompanha suas publicações terá uma identificação mais forte com seu conteúdo.

5. Imagem de destaque

A ideia por trás do seu anúncio precisa ser boa, mas deve vir acompanhada de uma foto de qualidade correspondente. Escolha uma imagem que ajude a transmitir a mensagem que você deseja ao mesmo tempo em que se encaixe na identidade visual da sua marca. Ao usar bancos de imagens, cuidado para não optar por aquelas muito usadas por outras empresas.

Como parte integrante da maioria dos planejamentos de marketing em todo o mundo, os anúncios no Facebook precisam ser feitos de maneira alinhada aos seus objetivos e características para trazerem bons resultados.

Ao mesmo tempo, se este critério é bem preenchido, você pode aproveitar um impulso bastante vantajoso na visibilidade dos seus produtos e serviços, contribuindo para aumento nas vendas e no fortalecimento da sua marca.

Quer continuar acompanhando os principais caminhos para otimizar a presença digital do seu negócio? Veja aqui no blog 5 dicas para melhorar a gestão das redes sociais da sua empresa.

Ferramentas de Automação de Marketing: afinal, para que servem?

Investir em marketing digital se tornou algo indispensável no mercado atual. São diversos os benefícios que uma empresa pode alcançar com uma estratégia de sucesso, principalmente quando o assunto é aumentar as vendas.

Mas, para fazer todas as ações de marketing rodarem com sucesso, é preciso muito esforço! Vários processos ocorrerão de forma paralela e estarão ligados um ao outro.

Lidar com tudo isso manualmente não é uma tarefa simples — é para isso que servem as ferramentas de automação de marketing.

Mas afinal, o que é automação de marketing?

Ações que envolvem marketing digital, como aquelas realizadas por meio de e-mail marketing, blogs, redes sociais, nutrição de leads e sites, precisam ser constantemente geridas, atualizadas e analisadas.

A automação de marketing será o processo que entra no meio disso tudo, unindo as estratégias e otimizando-as. O procedimento será feito a partir de softwares — ou ferramentas —, que analisarão e classificarão dados automaticamente. Isso ajudará seu time a definir quais ações devem ser tomadas.

É importante destacar que a automação de marketing não exclui a necessidade de se ter uma boa equipe de marketing ou de contratar uma agência. O que ela fará é ajudar a automatizar alguns processos e facilitar a gestão da estratégia e a análise de dados, tornando o time mais produtivo.

O planejamento de marketing, a produção de conteúdo de qualidade e outras ações são os elementos mais essenciais para se obter bons resultados.

Que benefícios as ferramentas de automação de marketing podem oferecer?

O uso de ferramentas de automação de marketing vai ser um passo extremamente importante para sua empresa, tanto internamente quanto externamente. Confira alguns benefícios que você pode alcançar:

1. Melhora na nutrição de leads

Os leads são clientes em potencial. Para que eles sejam bem nutridos, ou seja, para que recebam conteúdo relevante e de acordo com suas demandas, é preciso enviar as mensagens certas, na hora certa. Fazer isso manualmente, além de demandar muita atenção e tempo, ainda pode gerar erros.

Com uma ferramenta de automação, será mais fácil enviar informações relevantes para cada lead. Isso também faz com que ele seja levado de uma etapa do funil de vendas (processo que acompanha o cliente desde o conhecimento sobre o serviço ou produto oferecido por você até o fechamento da compra) para outra de forma muito mais eficiente.

2. Facilitação das vendas

Um lead melhor nutrido é um lead mais qualificado e engajado. Se o cliente em potencial já chega mais informado para o vendedor, o processo de venda é muito mais fácil.

3. Aumento do ROI do Marketing

Com a automatização, você precisa gastar menos com diversos processos, as ações serão mais assertivas e sua equipe estará mais livre para aplicar estratégias e nutrir leads, gerando ainda mais vendas.

Ou seja, você gastará menos e ganhará mais, gerando um ótimo ROI (Retorno sobre o investimento).

Quais são as funções dessas ferramentas?

Você perceberá que existem diversas ferramentas de automação à sua disposição e todas elas podem possuir diferentes funções. Para te ajudar a escolher uma boa ferramenta, reunimos algumas funcionalidades que elas oferecem:

  • Envio e gestão de e-mail marketing: Você poderá programar o envio de e-mail marketing de acordo com cada ação do usuário. Além disso, as ferramentas de automação te permitem verificar os dados dos leads para criar mensagens específicas para cada grupo, de acordo com suas características.
  • Gestão de redes sociais: É possível programar postagens e campanhas em redes sociais, o que torna a interação com o usuário mais fácil e rápida.
  • Gerenciamento de leads: As ferramentas te ajudam a acompanhar o processo das leads no funil de vendas, o que permite definir e automatizar o envio de mensagens, ações e promoções de acordo com o comportamento do usuário.

Além desses, há diversos usos que você pode aproveitar nas ferramentas de automação de marketing. Se a sua empresa deseja fechar vendas de forma mais rápida e fácil, a automação pode ser de grande ajuda!

Quer saber sobre outras ferramentas e estratégias que podem auxiliar sua empresa? Assine nossa newsletter e fique por dentro das maiores tendências do mercado!

Conheça todas as etapas da segmentação de Leads

Você já parou para pensar em quão bem você conhece seus clientes? Executar uma boa segmentação de leads demanda um bom conhecimento sobre seu público-alvo — e, é claro, sobre os seus próprios produtos e serviços.

Se você entende o comportamento do seu consumidor e todas as características do benefício que oferece a ele, terá tudo para estruturar um funil de vendas com foco em potenciais clientes. Alimentados com o conteúdo certo, portanto, eles terão ainda mais chances de realizar uma compra consciente ao fim da jornada.

No artigo de hoje, você vai aprender a identificar todas as etapas de segmentação das leads, desde a atração até a nutrição. Quer saber como investir melhor seus recursos e aumentar suas vendas? Então confira o artigo a seguir!

Fase de conscientização: o início da segmentação de leads

De acordo com a metodologia do Inbound Marketing — que visa ganhar a atenção do cliente por meio de conteúdo qualificado —, a etapa de conscientização é aquela em que a persona, ou cliente ideal, tem um problema ou uma expectativa, mas ainda não sabe bem nomeá-los. 

Aqui, lançamos mão de um conteúdo mais abrangente e informativo, no formato de e-books e blog posts, a fim de educar e engajar o visitante no seu site e blog.    

Fase de consideração

Na etapa de consideração, seu visitante é uma lead que já interagiu com o material que sua marca produz, portanto, já foi evangelizado o suficiente para nomear seus problemas e expectativas. Agora, ele passa a considerar opções para resolvê-los.

É hora de instigá-lo a optar pela sua solução por meio de um material um pouco mais especializado, que lhe dê base para comparações, como planilhas e calculadoras, além de apps. 

Fase de decisão

Na etapa mais avançada do funil, a lead já está preparada e dispõe de todas as informações necessárias para que esteja apto a fechar uma compra. 

Para lidar com essa lead quentíssima e impulsioná-la a bater o martelo sobre seu produto e/ou serviço, todo cuidado é pouco: materiais como demos e cases de sucesso que envolvam sua marca são ideais.

Além disso, é fundamental disponibilizar canais como “Fale com um vendedor” ou “Fale com um consultor” para que essa lead possa resolver dúvidas específicas de última hora e, assim, eliminar toda e qualquer objeção.

A importância do pós-vendas

Mas se quiser realmente fidelizar seus consumidores — e, consequentemente, reduzir o custo de aquisição de cada cliente (CAC) —, o processo de segmentação de leads não deve parar.  

É justamente no pós-venda que tem início a etapa de nutrição de leads, com o objetivo não só de gerar uma nova venda — o almejado upsell —, mas de transformar seus clientes satisfeitos em verdadeiros promotores informais da sua marca.

Entra em ação as campanhas de e-mail marketing, por meio das quais você poderá enviar um conteúdo diferenciado com promoções e descontos para sua base de clientes, estabelecendo, assim, um relacionamento mais duradouro e rentável com todos eles.

E então, gostou desse artigo? Quer ficar por dentro de mais conteúdos para alavancar suas estratégias de marketing digital? Assine agora a nossa newsletter e não perca nenhuma novidade! 

O que é SEO e como utilizá-lo a favor da sua empresa

Afinal, o que é SEO? A sigla significa Search Engine Optimization, que em português pode ser traduzida como Otimização para Mecanismos de Busca. É um conjunto de técnicas para otimizar o conteúdo de sites e colocá-los em um melhor posicionamento no ranking de buscas orgânicas, trazendo mais visibilidade e credibilidade.

O objetivo de aplicar as técnicas de SEO em um site é fazer com que eles atinjam as melhores posições dentro das ferramentas de buscas quando os usuários pesquisam por palavras-chaves relacionados aos sites. Exemplo: se você possui uma loja virtual de roupas infantis, o objetivo é fazer com que a sua loja apareça nas primeiras posições dos resultados quando um usuário procurar por “roupas de bebê ou roupas para bebê”.

Para entender sobre SEO, primeiro você precisa saber como o Google funciona. O Google possui um sistema de robôs, chamados crawlers, que analisam todos os links encontrados na rede, catalogam todas as informações que estão lá e acrescentam em sua biblioteca, que possui o incrível número de 60 trilhões de páginas.

Ao procurar uma palavra-chave no Google, os algoritmos avaliam por volta de 200 critérios para ranquear os melhores resultados para você. E esses critérios, em sua grande parte, são os critérios de SEO.

Quais são os fatores que influenciam no ranqueamento?

Os dois principais fatores são: link building e qualidade do conteúdo.

O Google possui algoritmos que detectam conteúdos de baixa qualidade para melhorar os resultados mostrados ao público. Ou seja, quanto mais qualidade os seus textos tiverem, mais bem ranqueado o seu site ficará.

O tamanho do texto também é levado em consideração. O algoritmo dá preferência a textos um pouco mais longos, que serão úteis e esclarecerão as dúvidas dos usuários. Os títulos devem conter as palavras-chaves procuradas e precisa despertar a curiosidade do leitor.

O link building tem um grande valor para o SEO. Se trata de adquirir links de outros sites. Quanto mais o seu link aparecer em sites externos, maior serão as suas chances de aparecer bem ranqueado. Os motores de busca utilizam os links externos para medir a popularidade e a relevância do seu site na Internet.

Basicamente, funciona como a vida real: Se um velho amigo indica uma pessoa que ele considera um excelente profissional, você irá acreditar que aquela pessoa até então desconhecida é realmente a mais indicada para o serviço que você está procurando.

Outra dica para otimizar o seu SEO é: tenha URLs amigáveis. O Google consegue identificar quando você usa as palavras chaves no endereço que redireciona ao conteúdo. O ideal é que ele seja simples, com o menor número de elementos possíveis, e que tenha relação direta com o título da postagem.

Comece a otimizar o SEO do seu site hoje mesmo! A sua empresa ficará mais visível, popular, aumentando o tráfego do seu site, e consequentemente, o lucro.

A nossa agência faz esse trabalho com diversos clientes. Se você possui um e-commerce ou deseja divulgar o seu site institucional, entre em contato conosco. 😉 Estaremos prontos para te ajudar.

Cinco ferramentas que irão te ajudar no gerenciamento de mídias sociais

Como já dissemos em textos anteriores, gerenciar mídias sociais requer planejamento e dedicação. Esse serviço é oferecido pelas agências de marketing digital e possui um grande número de aderentes (73,3% segundo o Panorama das Agências Digitais).

Por ser um serviço profissionalizado e otimizado, as agências contam com a ajuda de algumas ferramentas de gerenciamento de mídias sociais para expandir a qualidade do serviço. Com elas, é possível aumentar a produtividade da equipe, gerar relatórios e programar postagens.

No post de hoje, nós listamos algumas dessas ferramentas utilizadas durante o gerenciamento para você que trabalha na área ou até mesmo pretende cuidar das suas mídias sociais sozinho. Confira:

Reportei

O Reportei é uma ferramenta que une mídias sociais e o Google Analytics dentro de um mesmo template. Com ela, você não precisa buscar os dados relevantes do Facebook e do Instagram manualmente. Ainda é possível escrever uma análise do que foi visto e enviar diretamente para o cliente em PDF.

Buffer

O Buffer é uma das melhores ferramentas de gerenciamento de mídias sociais disponíveis no mercado. Com ele, é possível agendar postagens para o Twitter, Facebook, LinkedIn, Google+ e Instagram. Ele postará os conteúdos programados automaticamente e no horário que os seus seguidores estão mais propensos a verem os posts.

Instamizer

É uma ferramenta específica para o aplicativo Instagram. Ele permite programar postagens, criar Instagram Stories, fazer reposts, interagir com usuários e monitorar o engajamento. Ele também mostra uma análise de dados dos seus seguidores, como por exemplo, o gênero e a idade do seu público majoritário.

Você pode salvar um grupo de hashtags para serem utilizadas nas postagens, que ajudam na propagação do conteúdo.

RD Station

O RD Station também é uma ferramenta utilizada para a programação de posts no Twitter, Facebook e LinkedIn e acompanhar os resultados. É possível fazer um monitoramento das conversões e observar quais posts trouxeram mais resultados. A ferramenta possui um link de integração com as Landing Pages, que também permite monitorar os resultados.

Adespresso

O Adespresso é utilizado no gerenciamento do Facebook Ads. Ele permite automatizar ações, como impulsionar determinados posts ou otimizar anúncios que possuem um bom desempenho.

É possível realizar segmentações e testes para os anúncios, além de dividir o orçamento proporcionalmente ao tamanho da segmentação. A ferramenta também gera relatórios customizados para serem enviados aos clientes.

A tecnologia está aí para facilitar as tarefas do dia a dia. Use a seu favor! Aproveite para ler também o nosso último texto sobre como fazer o gerenciamento das mídias sociais da sua empresa.

Como utilizar o blog para fazer o marketing do seu e-commerce

O blog é umas das ferramentas utilizadas pelas empresas para expandir a comunicação com os consumidores, disponibilizar conteúdos úteis relacionados ao ramo de negócio e otimizar as regras de SEO.

Assim com o site institucional ou o e-commerce, o blog precisa ser planejado e bem estruturado. As estratégias de marketing de conteúdo ajudam a trazer mais credibilidade para a sua empresa e a posicionar o site nas primeiras posições dos mecanismos de busca orgânica.

Mas que tipo de conteúdo postar no blog? Como fazer com que ele se torne uma ótima estratégia de marketing? Confira as nossas dicas para otimizar o marketing do seu e-commerce.

Faça um planejamento estratégico

Antes de começar a produzir os conteúdos para o seu blog, elabore um planejamento com todas as postagens que você pretende fazer no mês. Mantenha uma periodicidade, como por exemplo, textos duas vezes na semana. Assim os seus leitores já saberão quando esperar por uma postagem do blog, o que auxilia no processo de fidelização dos consumidores.

Utilize palavras-chaves nos textos

Para otimizar as técnicas de SEO e melhor ranquear o seu site nas ferramentas de busca, utilize palavras-chaves dentro dos textos do blog. O conteúdo ajuda os robôs do Google a considerarem o seu site relevante para quem busca por aquele assunto, colocando-o em uma melhor posição, o que consequentemente trará mais acessos para o site.

Envie newsletters

Você também pode enviar os conteúdos do seu blog para os seus clientes via newsletter. Além da busca orgânica, a news pode aumentar muito o tráfego do blog e fidelizar os leitores. Mas não exagere na frequência! O excesso de e-mails pode fazer com que as suas mensagens sejam categorizadas como spam ou se tornam um incomodo para os destinatários.

Varie no assunto

Produza conteúdos relevantes e novos para a sua audiência. Traga dicas, novidades, textos informativos e o que mais julgar interessante para quem acompanha o seu blog. Você pode utilizar esse espaço para dar dicas referentes ao seu ramo de negócio. Por exemplo: se a sua empresa for um salão de beleza, você pode escrever textos como “Dicas para ter um cabelo mais saudável” ou “Dicas para evitar a queda de cabelo”.

Invista também em conteúdos relacionados a novidades do seu negócio. Você vai lançar um produto inovador? Aproveite para escrever um breve texto sobre ele, falando sobre seus diferenciais e vantagens de adquiri-lo.

Tenha guest posts

Uma boa estratégia para conseguir links externos e mais visibilidade para o seu blog, é ter guest posts. Convide um blogueiro de grande influência na área para produzir um texto para o seu blog ou vice-e-versa. Você irá conquistar uma nova audiência para o seu site e conseguir links que apontem para o seu site em uma página externa, o que favorece muito o ranqueamento da sua página.

Concluindo, o blog é uma ferramenta poderosa para o marketing do e-commerce ou do site institucional. Se você tem uma loja ou pensa em abrir uma, não deixe de ler também o que é preciso para abrir um e-commerce e o que você deve planejar antes de abrir a sua loja virtual. Até mais!